quarta-feira, 28 de setembro de 2022

Uma viagem de 2.100 km de carro - Carteira do mês - Setembro de 2022

 


Bom dia pessoal, espero que todos estejam bem.

Eu sempre gostei de filmes e livros que descrevem viagens longas, aqueles road movies americanos com aquelas estradas longas e visões do horizonte sob o Sol.

Nestes últimos quinze dias eu realizei uma dessas viagens, que foi na realidade um realização de uma vontade.

Aluguei um ótimo carro para viajar, um Toyota Corola Sedan, muito confortável, com vários recursos como piloto automático, bancos confortáveis e um bom ar condicionado.

Saímos de São Paulo e fomos até o Rio de Janeiro, depois Campos do Jordão, Uberaba, Rio Quente, Brasília, Pirenópolis, Itumbiara, Uberaba de novo, Ribeirão Preto e São Paulo novamente. No total foram 2.100 km rodados.

Fizemos diversas paradas para almoçar, para contemplar e curtir mesmo a estrada.

É claro que nada é como nos filmes mas ficou parecido. Algo que me surpreendeu muito é como o país é bonito e como o Centro-Oeste é rico. Acredito que no futuro o Centro-Oeste vai ser a região mais rica do país. O agronegócio vai dominar. Ao mesmo tempo, o Rio de Janeiro está em franca decadência.

Ainda tenho o sonho de fazer isso nos Estados Unidos, fazendo alguma rota que cruze o país conhecendo cidades diferentes e curtindo o país. A minha vontade é fazer isso de motor home, vamos ver se um dia consigo.

No mais, vamos em frente.

Abaixo, temos a carteira do mês das ações que ainda estamos comprando:



Temos também Fras-Le, AES Tietê, BB Seguridade, Cyrela, Direcional, Banestes, Comgás e Sul América, mas não estamos mais comprando.

No mais, um grande abraço e cuidado nas eleições. Se o Brasil virar uma Argentina ou Venezuela não adianta reclamar depois.

quarta-feira, 3 de agosto de 2022

A Venezuela virou o país mais pobre das Américas - Carteira do Mês - Agosto de 2022

Há mais ou menos uns 20 anos atrás eu estive nos EUA fazendo um curso que a empresa estava promovendo para novos funcionários.

Haviam estudantes de vários países diferentes, onde a empresa tinha suas filiais.

Um dos estudantes era da Venezuela e naquele tempo o país era um dos mais promissores da América Latina. Ele havia estudado em Chicago e estava começando a sua carreira na empresa. Era confiante e animado e tinha muito orgulho de seu país.

Por causa da imensa reserva de petróleo era um país que despertava bastante interesse e era consideravelmente bem desenvolvido comparado até com o Brasil.

As venezuelanas ganhavam os concursos de Miss Universo e até era um destino turístico pois tinham praias caribenhas e pensava-se que teriam um grande futuro pela frente, seriam uma Dubai nas Américas.

Se você tiver interesse e pesquisar de maneira desapaixonada, você vai descobrir que Cuba era assim também nos anos 60.

Pois bem, veio o Hugo Chaves e aí tudo foi para o saco.



Saiu hoje a notícia de que a Venezuela se tornou o país mais pobre das Américas, atrás do Haiti.

https://youtu.be/xT8s98CnI4I

O que aconteceu?

Basicamente foram implantadas no país todas as políticas esquerdistas que os socialistas implantam nos países que eles dominam.

Coletivização, perseguição aos empresários, aos agricultores, a quem produz, aparelhamento das forças armadas e da justiça, domínio dos meios de comunicação, doutrinação nas escolas e muita, muita corrupção. 

É o resultado de todos os países que implantaram estas políticas, sem exceção.

Podemos listar : Cuba, Venezuela, Coréia do Norte, Argentina, Chile, todos os países do leste europeu na época da Guerra Fria e assim por diante.

Os mais ricos da Venezuela fugiram para a Espanha e Miami nos EUA. 

A classe média foi para a Argentina e o Chile e estão ferrados agora porque estes países também estão indo pro saco.

E os mais pobres fugiram a pé para Roraima no Brasil, onde meninas de 11 anos se prostituem para conseguir comer.

Ás vezes penso naquele meu colega venezuelano e imagino o que aconteceu com ele. Será que ele se ferrou ou conseguiu escapar? Não preciso nem dizer que a empresa que nós trabalhávamos fechou o escritório na Venezuela.

O mais incrível para mim é pensar que tal como aqui no Brasil mesmo no meio da miséria e do caos existem os que ainda defendem o socialismo na própria Venezuela.

E se um fato ocorrer no Brasil na próxima eleição estaremos todos indo pro saco também. Eu era jovem quando o Hugo Chaves chegou no poder. O cara morreu, está no inferno e entrou outro ditador socialista no lugar. Se cometermos este suicídio no Brasil as únicas saídas vão ser Cumbica aqui em SP e Galeão no Hell de Janeiro.

Estou seriamente neste momento pesquisando sobre envio de dinheiro ao exterior. Falta de comida é algo que absolutamente não consigo imaginar na minha vida.

Pensem bem hein pessoal! Cuidado! Muito cuidado!

A seguir segue nossa carteirinha de ações que ainda estamos comprando:


Temos também Fras-Le, AES Tietê, BB Seguridade, Cyrela, Direcional , Banestes, Comgás, Sul América e Unipar, mas não estamos comprando mais.

sexta-feira, 15 de julho de 2022

Livros - Carteira do mês - Julho de 2022

Olá pessoal, espero que todos estejam bem.

No domingo passado fui na Bienal do Livro aqui de São Paulo.

Foi a terceira vez na minha vida que fui, compreendendo um período de uns 18 anos entre a primeira vez e essa.

O local parecia um carnaval no nordeste ou a véspera do Natal na 25 de março aqui de SP. Um verdadeiro formigueiro humano.

Surpreendentemente não me estressei. Primeiro porque estava com a família e depois porque adoro livros. Fiquei alheio a toda confusão e foquei nos títulos que estavam expostos.

Eu havia prometido a mim mesmo que não compraria mais livros até terminar de ler todos os que tenho em casa. Porém, não consegui resistir e quebrei a promessa. Acabei comprando 8 livros e minha esposa comprou mais 5.

A minha estante parece agora com algo assim:


Há dois anos inventariei todos os livros que tenho e deu algo em torno de uns 1000 livros, destes acredito que li algo em torno de uns 200. Além disso, tenho um leitor digital com algo em torno de uns 1000 livros dentro. Tenho também mais umas 3000 revistas em quadrinhos em casa, que coleciono desde criança. Tenho por exemplo o Homem-Aranha, o Hulk, Capitão América e X-Men desde o número 1 até aproximadamente 2012 que foi quando parei de comprar por saber que não teria tempo de ler até o final da vida e também porque a lacração e o esquerdismo estragaram os quadrinhos como estão fazendo com o cinema e a música também.

Além disso, tenho um hábito de vários anos de que quando ouço ou leio sobre algum livro interessante eu anoto no meu celular para comprar o livro depois. Cheguei a aproximadamente uns 1000 livros anotados também.

Só posso concluir que nunca conseguirei ler todos os livros que tenho, quanto mais juntando o que tenho no leitor digital, mais os quadrinhos e os livros que anotei somente o título.

Mas, fazer o que? Hábito é hábito.

Algo que gostei bastante na Bienal é que tinha bastante molecada. Claro que eles estavam indo atrás de algumas besteiras, mas assim é que o hábito de leitura começa.

A seguir temos a carteira de ações que ainda estamos comprando:


Temos também Fras-Le, AES Tietê, BB Seguridade, Cyrela, Direcional, Banestes, Comgás, Sul América e Unipar, mas não estamos mais comprando.

Um grande abraço a todos.








quarta-feira, 22 de junho de 2022

Eu deveria trocar de carro? - Carteira do mês - Junho de 2022

Oi pessoal, espero que todos vocês estejam bem.

Eu possuo o mesmo carro há 13 anos.

Trata-se de um Chevrolet Sedan Flex, que atende perfeitamente as necessidades minhas e da minha mulher, que vale uns R$ 22.000,00, valor que nos bons tempos era o aumento de um mês da carteira.

Está muito bem conservado, com toda parte mecânica em dia e com a aparência muito boa também.

Eu havia prometido a mim mesmo que somente trocaria de carro quando atingisse a riqueza, que segundo a obra "O milionário mora ao lado", seria quando a seguinte equação fosse atendida:

"Pegue a sua renda anual bruta, multiplique por sua idade e divida por 5". Neste caso o meu patrimônio líquido deveria ser algo em torno de R$ 2,5 M.

Ainda falta R$ 1,0 M para que eu possa atingir esta meta, algo que acredito que possa cumprir em 3 anos, isso se o Brasil não virar uma Venezuela ou Argentina. Neste caso, terei que me preparar para sair do país.

Mas nesse meio tempo, a mosquinha do gasto inútil vem me mordendo.

Eu nunca fui consumista na minha vida. Nunca gostei de ter roupas caras, carros caros e gadgets. Mas sempre gostei de mecanismos e tecnologias interessantes.

Por isso comprei um fone de noise cancelling de R$ 1.800,00 por causa da tecnologia. É meu companheiro de home office.

Em uma rápida pesquisa sobre carros híbridos, acabei me apaixonando pelo Toyota Corola Híbrido:



Gostei mais pela tecnologia de carro híbrido, que achei muito interessante. Provavelmente ficarei com o carro por mais de 10 anos, com certeza.

O carro custa algo em torno de R$ 180.000,00. Não vou retirar nada da carteira de investimentos para comprar, pretendo financiar. Sei que pagarei mais e tudo o mais que o Pai Rico não manda fazer.

Mas estou me contendo e só farei isso quando acabar de pagar o apartamento, já que o saldo devedor é mais ou menos o valor do carro. Isso ocorreria no final do ano que vem, segundo minhas contas.

Mas, a parte racional da minha mente me diz que não deveria trocar de carro até atingir a riqueza, que levaria no mínimo mais 3 anos.

Sendo assim, o que faço? Esse é um dos grandes obstáculos para atingir a independência financeira, a tentação de gastar no meio do caminho.

No mais, segue nossa carteira de ações que ainda estamos comprando:




Temos também Fras-Le, AES Tietê, BB Seguridade, Banestes, Comgás, Sul América e Unipar, mas não estamos comprando, apenas mantendo.

Possuímos também Renda Fixa, FIIs, Prev. Privada e investimentos dolarizados.

No mais, um grande abraço a todos.



sexta-feira, 27 de maio de 2022

Eu deveria largar tudo e morar na roça? - carteira do mês - maio de 2022

 


Boa tarde pessoal, espero que vocês estejam todos bem.

Passei uns 10 dias em uma cidade do interior de São Paulo e foram dias muito bons e relaxantes.

Um dos fatos que me surpreenderam foi a quantidade de pessoas que largaram tudo e foram morar em cidade pequena.

Conheci um casal que tinham um ótimo nível intelectual que foram para a cidade e a mulher virou massagista e o marido abriu uma pizzaria. Eles trabalham bastante e aparentemente estão bastante felizes.

Conheci também uma dona de restaurante chilena que veio passar uns dias no Brasil em Paraty e depois quis ficar por aqui. Mais um dado que nos ´passa que talvez o Brasil não seja um país tão porcaria assim.

A pousada em que fiquei também é de um pessoal de São Paulo, que optaram viver lá depois que começou a pandemia.

Uns donos de loja que compramos algumas coisa também são de cidade grande , mas vivem lá faz uns 20 anos. Pessoas ótimas, o único problema é que são também uns esquerdistas radicais, mas fazer o que? Ninguém é perfeito.

O fato é que no momento atual eu estou 100 % trabalhando remotamente em casa e poderia muito bem viver no interior ou em um local mais tranquilo.

É algo que penso seriamente em fazer. Mas há também receios e raízes familiares que nos prendem. Não poderia ser egoísta e abandonar pais e sogros septuagenários. Além disso eu e minha esposa temos atividades religiosas que exigem nossa presença física aqui no ABC.

Também não atingi ainda meu objetivo de riqueza, que seria algo em torno de R$ 2,5 M. Segundo minhas contas, ainda faltam 3,4 anos para isso.

A saída seria talvez achar um lugar aqui na grande SP que seja tranquilo ou mesmo no ABC. Não sei se isso existe.

No mais, bola pra frente. Se tiverem alguma sugestão, estou aberto a ouvir. Gosto muito do interior de São Paulo e Sul de Minas.

No mais, segue a carteirinha de ações que ainda estamos comprando:


Temos também Fras-Le, AES Tietê, BB Seguridade, Banestes e Unipar PNA, que mantemos mas no momento não estamos comprando mais.

Grande abraço a todos.


quinta-feira, 13 de janeiro de 2022

Bikemania - Carteira do mês - Jan 2022


Oi pessoal, resolvi voltar com o blog.

Espero que vocês todos estejam bem.
No final de 2020 fiquei com uma dor nas costas horrível por conta da falta de mobilidade e de ficar sentado o dia todo.
Procurei um ortopedista e iniciei um processo de fisioterapia e de fazer exercícios.
Sendo assim, no momento estou fazendo natação duas vezes por semana e pilates duas vezes por semana.
Para completar, comprei duas bicicletas, uma para mim e uma para minha esposa e ficamos com o que chamei de "bikemania", ou seja, com vontade de pegar toda e qualquer oportunidade para andar de bicicleta.
Eu havia deixado de ter bicicleta desde quando era criança e passei a juventude toda sem andar, a não ser esporadicamente.
Aqui no ABC só achei dois lugares para andar, a ciclovia de São Caetano e o Parque do Povo em Santo André.
Em São Caetano temos a ciclovia somente aos domingos e no Parque do Povo dá para ir aos sábados também, mas não é tão gostoso porque o povo brasileiro sendo o povo deprimente que é anda pela ciclovia e não é possível ter tanto prazer.
Em São Caetano tem alguns palhaços que correm na ciclovia, mas nada que atrapalhe tanto.
Fomos também no Ibirapuera e no Parque Villa Lobos. Os dois são bons para andar, mas prefiro o Villa Lobos.
No mais já fui até a Av. Paulista partindo do metrô Santos-Imigrantes e foi muito gostoso também.
Uma prova contundente do atraso do brasil é a absoluta falta de estrutura para andar de bicicleta e a completa falta de educação das pessoas, mas isso já é no plano geral e não somente em relação às bikes.
Mesmo com tudo isso, recomendo. É um dos grandes prazeres que tive no ano passado.
No mais, como sempre segue nossa carteirinha de ações que ainda estamos comprando:


Estamos muito contentes por ter em dezembro de 2021 ultrapassdo a barreira dos R$ 1,6 M. Rumo aos 2M.

Grande abraço à todos.

sexta-feira, 26 de março de 2021

Ter restaurante é uma furada? - Carteira do mês - Março de 2021

 


Fala pessoal, espero que esteja tudo bem com vocês.

Fiquei vários meses sem postar, por um variado cardápio de motivos. Mas voltamos, isso que importa.

No dia 19 de março de 2020 eu voltei para casa e não voltei mais ao escritório no centro de SP. Estou trabalhando de casa desde então.

No infindável tédio que esta vida de trabalho solitário em casa me proporcionou, fiz variadas coisas para passar o tempo, sendo uma delas assistir a vídeos no YouTube.

Um dos programas que assisti recentemente foi o Pesadelo na Cozinha, o qual me surpreendeu positivamente. Para ser muito sincero, não gosto do MasterChef, principalmente pelos apresentadores, o qual o Jacquin que apresenta o Pesadelo se inclui.

Porém, este programa me prendeu e achei muito bom. 

Uma conclusão que eu cheguei há muito tempo é que somente um louco empreende no Brasil e no caso do ramo de restaurantes, o cara deve ser mais louco ainda.

Quando você mandar alguém se f*der, mande ele abrir uma empresa, é mais educado e dá no mesmo.

Analisando o programa e vendo com meus próprios olhos como estão os restaurantes aqui perto de casa, chego à conclusão que este tipo de negócio não vale a pena. Veja bem, aqui estou falando de restaurante mesmo, com garçom, cardápio e mesa com pratos e talheres. Podemos incluir até restaurante "por quilo", mas excluímos empresas que vendem lavagem, como McDonald´s e afins.

É claro que sempre vai ter alguém com um exemplo de alguém que trabalha com restaurante há 30 anos e blá, blá, blá.

Mas a meu ver, este negócio é ruim e pelas seguintes razões:

1) Funcionários. 

Ainda não criaram restaurantes automatizados, sendo assim, os donos de restaurantes precisam ter muitos funcionários para atender seus clientes e geralmente pagando salários baixos e com alta rotatividade. Além, disso, este coitado vai ficar à mercê de sindicatos, que são a pior espécie de ser humano que existe, além do próprio fato do brasileiro em geral ser ladrão e preguiçoso.

Uma padaria aqui no ABC ficou fechada pela vigilância sanitária causando um prejuízo enorme porque um funcionário deixou um potinho com cocô na geladeira. Era um exame de fezes que o sujeito tinha feito e ia entregar depois do trabalho.

2) Aluguéis

Se o coitado não tiver o ponto, ele vai pagar aluguel. Os donos de imóveis não diminuíram 1 centavo dos aluguéis durante a pandemia, preferem que o seu inquilino feche a porta do que diminuir o aluguel. Além disso, os donos de imóveis têm uma prática comum de AUMENTAR o aluguel quando o ponto do coitado dá certo. Ou seja, o maluco gasta uma nota preta para reformar o local e quando o negócio dá certo, o dono do imóvel quer ganhar mais dinheiro em cima dele, comendo o lucro do local.

3) Qualidade de vida horrível

Geralmente o expediente de um dono de restaurante que se preze começa de madrugada, porque ele precisa comprar os produtos frescos para serem consumidos no dia, planejar as compras de outros produtos para funcionamento do restaurante, fazer trabalhos administrativos, abrir o lugar e mil e uma outras tarefas que envolvem um negócio. Os restaurantes funcionam mais de fim de semana e assim o coitado não tem quase tempo livre e nem férias, porque tem que ficar cuidando dia e noite do negócio.

4) Clientes

Clientes de restaurantes reclamam da comida, do ar condicionado, do atraso, do garçom, da mesa, dos talheres, da temperatura, do barulho, da música, do estacionamento, do cardápio, do preço, da localização, do cliente do lado e de mil e uma outras coisas que são impossíveis de controlar de fato.

Além disso, hoje temos estes sites e aplicativos que os clientes podem avaliar o restaurante, que geralmente as pessoas utilizam para se vingar do restaurante se uma mínima contrariedade acontece.

5) Produto perecível, único e não estocável

Cada prato de um restaurante é um produto único. Pode sair bom ou ruim dependendo de como o cara que fez estava no momento, não importa o quanto de dinheiro você investiu no lugar.

6) Concorrência

Dizem que se você quiser conhecer um restaurante por dia em São Paulo você nunca iria conhecer todos, tal o ritmo de novos restaurantes que abrem. Sendo assim, você vai entrar num mercado hiper competitivo, sem quase barreira de entrada.



Temos ainda vários outros pontos a apontar, como vigilância sanitária corrupta e ineficiente, baixa lucratividade, alto custo de operação, alto risco de imagem (lembre da padaria mencionada acima). 

Tive a ideia romantizada de ter um restaurante vendo o "Pesadelo na cozinha", mas pensando melhor achei que ia ser mesmo uma loucura.

Em tempo: a maioria dos restaurantes que o programa ajuda FECHAM depois que o Jacquin vai embora.

Sendo assim, pergunto: vale a pena? Esperamos os comentários.

No mais, segue abaixo a nossa carteirinha de ações


Grande abraço a todos!