sexta-feira, 1 de março de 2019

Histórias do mundo corporativo - Prostituição velada nas empresas - Carteira do mês - Março 2019


No post passado, mencionei que presenciei algumas histórias de prostituição no mundo empresarial e isso despertou alguma curiosidade.

Pois bem, resolvi fazer um post à respeito.

Decerto que quando disse "prostituição", não quis dizer o convencional, que seria o tradicional sexo pago. Algo parecido com isso só fiquei sabendo uma vez.

Quando adolescente trabalhei em uma cadeia de lanchonetes cujo símbolo parece arcos dourados e anos depois fiquei sabendo que duas das minhas colegas haviam se tornado garotas de programa. As duas eram irmãs e trabalharam comigo durante algum tempo, mas foi depois do período em que trabalhávamos juntos, foi depois que saí da empresa para fazer faculdade.

O que quis dizer com prostituição seria algo como trocar sexo por promoções no trabalho ou ascensão social.

Em uma escala do menos pior para o pior, a situação mais patética era quando chefinhos ridículos e com pequeno/médio poder faziam pequenos mimos e gracinhas para as mulheres da empresa, em troca de sorrisos, agradecimentos e um ou outro almocinho juntos. Claro que não rolava nada além de pequenos flertes, mas era engraçado ver esses homens patéticos se desdobrando e esforçando para agradar mulheres que eles nunca teriam, apenas em troca de sorrisos e obviamente pensamentos de nojo e repulsa por parte delas. Havia um colega que nós chamávamos de "Engenheiro", que era chamado assim porque ele se dizia ser formado em engenharia e descobrimos que na verdade ele não tinha nem o segundo grau completo. Sua aparência era uma mistura do Larry dos Três Patetas com o Raul Gil. Este ser se desdobrava em comprar chocolates, lencinhos, docinhos, sabonetinhos e outros mimos para a mulherada, recebendo em troca risinhos, agradecimentos constrangidos e olhares de nojo quando o dito cujo queria abraça-las e beijá-las ao entregar estes mimos. Pensando agora, chego a sentir um pouco de pena, pois ele me parecia extremamente carente, sendo que estes momentos deveriam ser os únicos prazeres que deveria ter na vida.

Teve um outro caso de um colega que ficou responsável por um stand em uma feira, cuja premiação era uma viagem para os EUA para conhecer a matriz. O chefe desse colega colocou uma garota jovem para trabalhar com ele. O meu colega ficou responsável por contratar a empresa que montaria o stand, pelos fliers, pela parte de computadores, pelos contatos durante a feira e por fechar negócios. A garota ficou responsável pelos salgadinhos. O meu colega chegava às 7h00 e ia embora às 01h00 depois que a feira fechava. A garota chegava às 13h00 e ia embora às 20h00. No final quem ganhou a viagem foi a garota e depois meu colega descobriu que o chefe ia para os EUA também, sendo assim os dois, o chefe e a garota iriam viajar juntos. O meu amigo cometeu a loucura de por pura ingenuidade tentar reclamar para o próprio chefe sobre o caso. Ele nunca me contou o que ouviu, mas o resultado foi que ele foi ao banheiro da empresa e chorou igual uma mulherzinha.

Outra coisa que acontecia muito era quando tínhamos projetos com gringos, as mulheres tentarem arrumar algum relacionamento para sair do campo de concentração chamado Brasil. Assim, elas procuravam se insinuar, se enturmar e tentar arrumar algum trouxa que aceitaria se casar com elas. Era nítido a mudança de comportamento, as roupas e até o cheiro no ar, impregnado de perfume. Houveram casos de mulheres que saíram do país e deixaram os pais à míngua, com a promessa de enviar dinheiro, houve casos de mulheres que se casaram e depois do tempo legal se separaram, apenas para ganhar cidadania. O caso mais interessante era de uma secretária de uns 26/27 anos que fez com que um alemãozinho de uns 23 anos deixasse um relacionamento de 8 anos com uma colega de faculdade alemã em apenas 3 meses de projeto. O tal alemão ficou NOIVO da garota e era algo muito constrangedor  (para mim) ver a foto do cara na mesa da tal secretária, sabendo que o rapaz estava apenas sendo usado como passaporte. Os gringos são muitíssimo ingênuos.

Fiz uma entrevista uma vez com uma garota que trabalhava no RH e depois de um tempo fiquei sabendo que ela havia se tornado diretora de RH. Essa garota era extremamente bonita e depois fiquei sabendo que ela havia se casado com um sócio da empresa. Nesse caso, não vi tantos problemas, mesmo porque RH não serve para porcaria nenhuma, em nenhuma empresa.

Existiam muitos casos de chefes que pegavam subordinadas e uma vez foi muito engraçado porque um colega tinha estacionado o carro de forma que estava bloqueando a saída dos carros e o segurança foi correndo chamar ele porque um dos chefes queria sair e o carro dele estava no caminho. Quando esse colega chegou lá, observou que o chefe estava no volante puto da vida e uma das garotas que trabalhavam no projeto estava abaixada dentro do carro tentando se esconder.

No meu caso pessoal, houve apenas uma vez em que trabalhei com uma garota que se comportava de maneira super legal, gentil e prestativa durante um tempo e depois de conseguir de mim uma ótima avaliação, modificou totalmente o comportamento. Mas foi bom para mim, porque hoje em dia sei que me comportei tal como o Engenheiro. Era jovem e idiota e passível de cair nos papos das garotas.

Nunca mais.

No mais, continuamos com nossos investimentos. Abaixo a carteirinha que ainda estamos comprando:

Vendemos um pouco de Guararapes, mas ainda temos na carteira, assim como Fras-Le, Itaúsa, Metal Leve, Porto Seguro, Eztec, Santander, Sanepar, Mercantil do Brasil e Unipar, apenas não as estamos comprando mais. Participamos da OPA da Comgás e logo estaremos sem ela na carteira. Teremos OPA da Smiles e Multiplus também. No mais, tivemos uma grata surpresa com os bons dividendos da Itaúsa.

Grande abraço e bons investimentos!

15 comentários:

  1. Olá Amigo, pode me adicionar no seu blogRoll?

    www.doutormuquirano.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. pior que é assim mesmo, eu ja trabalhei na Lojas Centauro (na base da piramite msm) e era só ouvir dizer que algum manda chuva ia dar as caras q todas as mulheres se arrumavam. chegava a dar raiva da cara
    de pau e hipocrisia do ser humano. mais ne, o jogo é assim, todo mundo querendo se dar bem, e cada um joga com as cartas q tem.
    oq eu não concordo é com isso de passar por cima dos outros. e so usar uma pessoa como alavanca e q se foda.

    ResponderExcluir
  3. Olá colega,

    pode adicionar meu blog no seu Blogroll?

    www.doutormuquirano.blogspot.com

    o seu já está adicionado no meu.

    Doutor Muquirano.

    ResponderExcluir
  4. Rapaz...n só na iniciativa privada. Sou servidor público e vejo isto demais. Tem uma secretaria com corpao que vai de mini vestido. Ela é comissionada e toda vez que tem mudança de presidente na agencia ela busca seduzir os chefoes. O atual tem 84 anos de idade e é engraçado ver ela quase beijando ele. Virou a secretaria particular que antes de chegar algum recado a ele tem que passar por ela.

    Detalhe: é casada e um amigo meu que é parente da ex primeira dama comia ela nos estacionamentos , no carro toda vez. Provável que ela fazia isso para continuar no cargo. O maridao nunca desconfiou.

    ResponderExcluir
  5. Temos que ser moderados, não ser secos, nem sermos idiotas.
    Ser idiota causa asco, ser seco, você vira o estranho e filho da puta do local.

    A única verdade é que, nasceu com buceta, se não for retardada vai ter o mundo aos seus pés.

    Abraços e sucesso financeiro!!

    ResponderExcluir
  6. Já fiquei sabendo de algumas histórias na cidade onde moro. Porém não sei se todas são verdadeiras, porém sei de algumas que realmente aconteceram.
    Dois casos de homens com mais ou menos 40 anos que marmitavam funcionárias mais jovens mais ou menos 23 anos. Esses dois homens eram casados inclusive, um continua casado até hoje, o outro já trocou de esposa.
    Mas o caso mais inusitado fiquei sabendo por intermédio de mulheres (Como algumas mulheres gostam de falar de sacanagem entre elas), pois bem o caso era de um casal com grande diferença de idade, o homem muito mais velho, um cara de uns 60 anos e uma estagiária de 21, 22, cara quando fiquei sabendo da história rí demais, porém desse caso não tenho certeza da veracidade, mas acho que foi real mesmo.

    ResponderExcluir
  7. O mundo diz que somos machistas, mas essas histórias que você contou tem aos montes por aí !!! como não falar mal das mulheres??

    amigo faz tempo que lhe acompanho, te add na minha lista, poderia me add na sua lista? Sou seu colega de ABC rsrsrs

    ResponderExcluir
  8. No mundo corporativo este tipo de comportamento não é raro. Eu trabalho em escritórios há mais de 20 anos, e já vi casos parecidos.
    Pra evitar este tipo de comportamento dos "chimpas brazucas" o ideal seria adotar o código de ética de empresas estrangeiras onde é PROIBIDO manter relações afetivas no ambiente de trabalho!
    Se você quiser namorar vá pra um clube, ou um bar, ou um outro lugar propício.
    LOCAL DE TRABALHO É PRA TRABALHAR!
    Isso evitaria muitos dissabores no ambiente corporativo.

    Obs: Parabéns pelo seu texto. Acompanho seu blog. Já ha algum tempo, e vejo que VC escreve muito bem. Continue firme!

    Um abraço,

    L. B. Meyer

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  11. Foco disperso, sinônimo de mediocridade e ruína, mas, infelizmente, é a regra por aqui e não a exceção.

    ResponderExcluir